Memorização

Quando falamos em memorização, estamos pensando na ação de guardar informação. Memorizar um fato, um acontecimento, uma imagem, um som ou qualquer coisa é utilizar nossa memória para fazer este trabalho. A seguir vamos entender o que é a memória.

Uma definição de memória presente no site da Wikipedia é a capacidade de adquirir, armazenar e recuperar informações disponíveis.

Hoje, quando se fala em memória, podemos dividi-la em memória humana (natural) ou artificial (aquela dos computadores e equipamentos eletrônicos).

A função de ambas á a mesma, armazenar informações conhecidas, no caso humano conhecimento adquirido ou experiências vividas, para os eletrônicos dados inseridos.

Nossa memória pode ser dividida em 2 tipos básicos:

Memória Temporal

De trabalho – é a memória imediata, requer atenção, é usada para guardar uma informação durante um acontecimento, por exemplo, gravar um número de telefone ou endereço enquanto anotamos, depois de anotado, é esquecido;

memorização-de-curta-e-longa-duraçãoDe Curta Duração – lembrar-se de acontecimentos ou informações recentes, que aconteceram há alguns minutos, horas ou dias, é a sequência da memória imediata. Também é guardada até ser usada a informação, depois pode ser esquecida;

De Longa Duração – aqui nos lembramos de fatos mais antigos, que aconteceram há alguns meses ou anos, por exemplo. Também nesta memória retemos nomes de pessoas conhecidas, idade, um endereço, ou uma experiência vivida. É também chamada de autobiográfica.

Memória de Conteúdo

Prospectiva – lembrar-se de um fato futuro, exige planejamento e organização, por exemplo, uma consulta médica, uma reunião, um evento, etc.

Verbal – recordar-se de algo que foi ouvido, como a letra de uma música, uma história, uma notícia.

Visual – lembrar-se de uma figura ou imagem.

De Procedimento – está relacionada a habilidades motoras ou hábitos, é o nosso “piloto automático”, como andar de bicicleta, dirigir um carro, fazemos sem a necessidade de lembrar etapa por etapa, ela é mais duradoura, não esquecemos.

Elas estão relacionadas a diferentes partes de nosso cérebro, a primeira ao lobo temporal medial, já a segunda aos gânglios basais, por este motivo possuem características diferentes.

Porque Lembramos de Algumas Coisas e Esquecemos Completamente Outras?

memorização-seletiva

Se parar para pensar você verá que alguns acontecimentos ficaram registrados em sua memória enquanto outros foram “deletados” por completo.

Às vezes, lembramos de um fato ocorrido, em detalhes, mesmo que mais antigo, já outros não conseguimos lembrar de nada, nem mesmo de aspectos gerais.

Isto se dá na consolidação da memória, processo que ocorre momentos depois do fato ocorrido, ou seja, acontece um fato, nossos sentidos (visão, audição, olfato) registram aquilo que eles percebem e então esta informação vai até o cérebro para ser processada e memorizada.

É um processo muito rápido, mas que tem de percorrer um caminho, assim como acontece em um computador.

Durante este caminho, qualquer fator que possa interferir no processamento, pode ajudar a reter uma informação ou atrapalhar sua memorização. É a consequência de um processo neuro-hormonal.

Mas o que é isto? Algumas substâncias liberadas por nosso organismo podem agir como um bloqueador para nossa memória, e muitas vezes este é até um mecanismo de defesa do próprio organismo.

Uma destas substâncias é a β-Endorfina que pode causar o esquecimento. Em situações de stress, a produção de adrenalina pelo organismo também libera a β-Endorfina, por este motivo é comum não lembrarmos as coisas que acontecem nestas circunstâncias.

Um bom exemplo é o motorista que não se lembra de detalhes de um acidente de carro depois que ele acontece.

Outro fator que influencia a memória é a falta de sono, o cansaço interfere na capacidade de atenção e concentração, consequentemente a memorização é prejudicada.

Também temos no corpo substâncias que ajudam na consolidação da memória, ou seja, são responsáveis por gravar mais facilmente aquilo que é importante para nós, algumas delas são noradrenalina, dopamina e acetilcolina.

Esta importância no acontecimento é reconhecida por nossas emoções, o corpo reage conforme nossos sentimentos e produz estas substâncias benéficas à nossa memorização.

Assista esta reportagem com algumas dicas para memorizar:

 

Memorização ao Longo do Tempo

Com o passar dos anos é normal perdermos nossa capacidade de lembrar as coisas, mas alguns exercícios podem nos ajudar a restaurar esta memória.

Lembrar é uma função que sedimenta nosso conhecimento, nos possibilita aprender coisas novas e aumenta nossa capacidade criativa. Por isto é importante trabalhar e exercitar nossa memória.

Leia também os benefícios da memorização, dicas e técnicas para memorizar melhor, seja no estudo, trabalho ou em qualquer situação.